quinta-feira, julho 31, 2014

Reflexões para o dia: O barco da felicidade



“Se alguém gerar cem filhos e viver muitos anos, até avançada idade, e se a sua alma não se fartar do bem, e além disso não tiver sepultura, digo que um aborto é mais feliz do que ele;” (Ec 6:3)

Hoje pela manhã vim trabalhar de ônibus. Eu e meu filho Abel saímos de casa ainda escuro, antes das 6 da manhã e umas poucas pessoas na rua aguardavam o ônibus. Mas porquê disse isso? Porque normalmente usamos minha motinho como meio de transporte, apesar do frio matinal curitibano. 

Sempre vejo pessoas dizendo: “Ah! Se eu tivesse um carrinho a vida iria ser bem melhor.” Ah! Se eu tivesse tal coisa, se eu tivesse um marido, se eu tivesse dinheiro...”  E aí fico me questionando do quanto precisamos para sermos felizes. 

Você já percebeu que há pessoas que conseguem ser felizes mesmo não “tendo” tudo isso? 
Ontem de noite recebi uma mensagem de uma pessoa, compartilhando sua felicidade comigo, e na foto dizia algo assim: “valeu pela ajuda, um abraço, obrigado!” Claro, aquilo me deixou feliz.

Dias atrás, quando ainda estava em Brasília, eu e meus primos Tiago e Hellen, fomos a uma “venda de garagem” e lá conhecemos um senhor, mais de setenta anos, cheio de vida e vigor físico. Ele nos recebeu muito bem, e começou a falar que era professor de dança, de frevo (ritmo pernambucano) e que lidava com energias através dos números... Aí foi nos explicando algumas coisas, de como os números e as cores influenciam a vida e a energia das pessoas. Tudo muito interessante, nos dava exemplos, falava do mal das ondas eletromagnéticas dos celulares, etc... mas o que me chamou a atenção era o bom astral do velhinho. Evidente que não creio nas mesmas coisas que ele, mas não tinha como negar que aquele senhorzinho que falava sem parar, propagando o bom poder das placas com os números positivos. 
Tudo ía bem até que ele fala que tinha uma amiga “Marciana”. Eu quis rir, mas ele contava, que ela realmente era de marte, e etc...  aí a visita já durava cerca de uma hora e resolvemos ir embora; no fim, não compramos nada, mas saímos com boas risadas. 

Por favor, espero que ninguém entenda que estou zombando daquele senhor; não é nada disso. Relatei brevemente para compartilhar que não importa a quantidade de coisas que temos, mas a alegria e o prazer de viver que emanamos. 

O Talmude fala: “quem é rico? aquele que é contente com o que possui.” Isso faz referência a tudo, não apenas ao dinheiro ou bens materiais. Um rabino, de quem ouço palestras com frequência disse: “você não pode achar que vai ser feliz quando casar. Você não pode achar que vai ser feliz quando tiver isso ou aquilo. Quem não é feliz solteiro, não vai ser feliz quando se casar. Sempre vai faltar alguma coisa...” Eis a essência das coisas. Procurar a felicidade de viver. 

Problemas, todos temos, todos teremos, mas isso não deve nos tirar a alegria de viver. Apesar dos problemas, é um privilégio estar vivo. 

Voltando ao ônibus dessa manhã, cada pessoa que entrava, com cara de sono ainda, certamente tinha seus problemas, suas tristezas e suas alegrias. Não dá pra julgá-las. E nem preciso! Basta que busquemos encontrar nossa própria felicidade, nas coisas simples da vida. 

No ônibus, como a maioria das pessoas, eu usava um fone e ouvia canções ao celular. Quero compartilhar aqui, traduzido, um trecho de uma delas, de um cantor country famoso chamado Garth Brooks, a canção chama-se “The River”

Você sabe que um sonho é como um rio
Sempre mudando conforme flui
E o sonhador é apenas uma embarcação
Que deve seguir para onde ele vai
Tentando aprender com aquilo que ficou pra trás
E nunca sabendo o que está adiante
Fazendo de cada dia uma batalha constante
Apenas para ficar entre as margens. .

Eu conduzirei meu barco, Até o rio secar
Como um pássaro ao vento, Estas águas são meu céu
Eu nunca alcançarei meu destino, Se eu nunca tentar
Assim eu conduzirei meu barco, Até o rio secar

Então, não se sente à beira da água
dizendo que você está satisfeito
Escolha a corrente mais rápida e arrisque-se
E ouse dançar na maré. Sim...

E existirão momentos em que as águas serão difíceis
E eu sei que levarei algumas quedas
Mas com o bom Senhor como meu capitão
Eu posso passar através de todas elas. 


Que esta música nos inspire a encontrar a felicidade em cada momento de nossas vidas, porque essa é a assência de nossa alma.
Podemos ser felizes mesmo sem ter tudo aquilo que queremos, porque, quem disse que precisamos possuir tudo pra sermos felizes? Basta deixarmos nossa embarcação seguir o fluxo do rio e vencermos as correntezas da vida com alegria. 

Um comentário:

Abiezer disse...

Parabens querido irmao meu! Linda mensagem! Obrigado!