quinta-feira, setembro 26, 2013

A quem honrar?




Pagai a todos o que lhes é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto;
a quem respeito, respeito; a quem honra, honra. (Rm 13:7)

 
Tudo aquilo que plantamos, é o que colheremos, no seu devido tempo. Sempre acreditei nisso e continuo a acreditar, afinal, há tempo para todas as coisas, para todo propósito.
 
Também sempre acreditei que somos todos partes de um mesmo povo, todos igualmente importantes, embora uns tenham funções de maior destaque, outros menos, outros aparentemente sem importância (aos nossos olhos). Quem define o que é ou quem é mais importante somos nós mesmos, porque D-us nos deu talentos diferenciados a um e outro, e cada um deve trabalhar dentro dos seus próprios talentos, não os enterrando, mas fazendo-os florescer para o bom andamento da Kehilah.
 
No dia 6 de outubro próximo o Rosh Ezrah ben Levy receberá o reconhecimento de "Honoris Causa" por uma faculdade brasileira. Esse título normalmente é oferecido a pessoas de grande prestígio ou pessoas que prestaram relevados serviços à sociedade em determinada área. No caso dele, é um reconhecimento pelo mérito de sua sabedoria em ciências da religião judaica.
Como sempre gosto de dizer que somos um povo, e ontem na nossa festa de Simchat Torah mencionei, ao citar esse reconhecimento, de que o Sefer Torah que temos em nossa congregação não é meu, nem da Beit PG, mas de todos nós, do povo da Congregação Israelita da Nova Aliança, da mesma forma compartilho as vitórias e derrotas, com os méritos de todos. Por isso, no próximo dia 6 de outubro, a CINA deve se orgulhar por um de seus líderes estar recebendo tal honraria.
Honrarmos alguém não significa endeusarmos, mas simplesmente (a meu ver) incentivarmos a que continue crescendo e compartilhando de seus dons com todos.
Dias atrás escrevi um post aqui honrando nosso chazan em Ponta Grossa, não para diminuir aos demais, mas para incentivá-lo, e ele sentir que o trabalho é reconhecido e tem seus méritos.
 
Há vários anos atrás, em nossa primeira caravana a Israel, o Rosh Ezrah, cheio de alegria, assim como muitos outros, chorava em muitos dos lugares que visitamos, até que chegamos ao Museu da Diáspora, em Tel Aviv... e durante a visita, a guia do local dirigiu-se a ele dizendo algo assim: "Onde você aprendeu tudo isso menino?" E ele respondeu: "O que os rabinos vivos não me ensinaram, os rabinos mortos me ensinaram em seus livros." São esses anos de leitura que hoje conferem ao Rosh Ezrah o reconhecimento de Honoris Causa. Conhecimento que ele compartilha a cada shabat com a congregação de Curitiba e de todo o Brasil através das transmissões ao vivo pela tvisraelita.
 
É assim gente, não devemos trabalhar, estudar, para buscar mérito humano, e no seu devido tempo, esse reconhecimento acaba vindo. Se não vier da parte dos homens, vem da parte de Deus.
 
Eventualmente, eu e o Rosh Ezrah temos pensamentos divergentes, em questões de direção, pontos de vista, mas o reconhecimento deve sempre existir. Gosto de ler também, embora leia menos, e meus livros quase sempre são voltados a outros aspectos morais da nossa fé. Não por acaso trabalho como "Pastor de Ovelhas" e não como "Mestre".
 
A CINA precisa de pessoas dispostas a crescer espiritualmente para continuar seu trabalho. Pessoas dispostas a estudar, aprender, seja em quais áreas forem. Hoje, digo que Shaul HaShaliach escreveria: "Ele mesmo pôs uns para mestres, outros para pastores, outros para chazanin, outros para itinerantes, outros para auxiliares, e outros para cada uma das funções de nossa fé". Precisamos de pessoas dispostas a trabalhar, cada um na sua área, e pessoas não dispostas a buscar honrarias, embora ela venha, como hoje vem ao Rosh Ezrah.
 
E como citei, no verso inicial: "a quem honra, honra." Se uma faculdade que nada tem a ver com nossa fé reconhece isso num de nossos líderes, devemos prestigiar. Então quem quiser e puder estar na Kehilah Sede, na data marcada para prestigiar, estará tambem demonstrando o reconhecimento à nossa liderança. Se não puder prestigiar ao vivo, assista pela internet pois provavelmente será transmitido pela tv israelita.
 
Que venham mais líderes, mais roshim, e que sejam dignos de duplicada honra aqueles que governam bem e se afadigam na palavra e na doutrina, ou seja, ensinando e pastoreando o povo, conduzindo-os no caminho certo.
 
*** As fotos que usei neste post são de uma viagem que fizemos a New York, em maio de 2011 e retratam momentos de descontração, porque também líderes tem direito a relaxarem de vez em quando.
 

Um comentário:

Samuel Pereira da Silva disse...

É uma honra ao nosso povo esse reconhecimento não apenas a pessoa em sí, mas a todo um trabalho bem projetado e realizado, mérito de todos como um povo, e méritos de um lider como pessoa.