quinta-feira, março 28, 2013

Lições das Minas Gerais à Argentina



Já dizia o salmista: "O SENHOR é excelso, contudo, atenta para os humildes; os soberbos, ele os conhece de longe." (Sl 138:6)
 
Há um bom tempo atrás eum havia prometido a um amigo visitá-los a qualquer hora, assim que fosse possível e o Eterno nos provesse uma boa situação para isso. Passou o tempo e chegou a hora de cumprir a promessa. Lá fui eu em direção às Minas Gerais, terra de onde vieram alguns de meus antepassados, mas que eu mesmo não conhecia.

Na sexta-feira, a ansiedade era grande ao sair de curitiba. Cheguei a Belo Horizonte onde fui recepcionado com sorrisos sinceros e abraços. E eu seguia rumo ao desconhecido, com pessoas novas e cheias de expectativas, afinal, estariam recebendo um rosh da CINA. Mesmo ocupando tal função, sempre acreditei que um bom líder deve estar próximo ao povo, e sentir as necessidades do seu rebanho.

No shabat, shacharit já numa chácara alugada, e lá, ao ar livre estudamos a Torah do Eterno... que depois do almoço se transformou em longos momentos de bate-papo, esclarecimentos bíblicos e principalmente comunhão, quando nos preparávamos espiritualmente para o Pessach. Veio a noite, e com ela uma breve prédica acerca do Pessach e a necessidade de vencermos nossos medos para sermos capazes de cruzar o deserto. Dormimos já era madrugada, de tanta vontade que tinhamos de conversar, estar juntos mesmo. Em dado momento, eu já me sentia completamente em casa, adaptado, feliz ao lado deles, outrora desconhecidos.

Amanhece o domingo, e entre arrumações do local, conversas e muitas risadas, aproveitamos o dia de calor na piscina, com momentos separados para mulheres e depois os homens.

E veio o Pessach, celebrado pela primeira vez entre os amados de Campo Belo, Pequi, Itauna, Divinópolis, Belo Horizonte e eu, de Curitiba. Estava sozinho, sem a família, mas não sem família, pois entre irmãos estamos em família.

Nos sentamos no chão, como nos dias antigos, e tudo transcorreu de uma forma mágica, especial. Depois, como bons mineiros, muito queijo, doce de leite e muita alegria.

Como não se lembrar do momento do lava-pés, quando Yeshua ao lavar os pés dos seus talmidim, ensinou-nos para sempre uma lição de HUMILDADE?

Nesses momentos, com pessoas humildes e simples, que se satisfazem com o pouco que você é capaz de oferecê-los, que me lembro de Yeshua, Seus discípulos e imagino a satisfação que eles levavam no coração a cada pessoa que eles visitavam, e falavam do amor do Eterno. Longe de mim me achar sábio, mas sei a sensação de se esforçar e ainda com debilidades ser capaz de suprir as carências de pessoas humildes. Nessas horas, todas as dificuldades que possam surgir na vida de um rosh são esquecidas. Um abraço sincero vale mais do que muitos presentes caros.

Ter saído de Minas na noite da terça, já findando o Yom Tov, o primeiro dia de Pessach foi muito bom, como alguém que sente de verdade o que é estar livre do Egito, e também livre do "fermento". É como quase sempre falo: "as vezes, visitar pessoas carentes, você pensa que vai levar um pouco de alegria, ânimo, mas na verdade, é você quem recebe tudo dobrado". No fim, acho que fui eu quem encontrei o tesouro, o afikoman escondido, lá no meio do mato, numa chácara em Campo Belo, Minas Gerais.

Agradeço a todos de lá e suas familias, Yonatan, Haniel, Hadassa, Calev, Yakov, Pequi, enfim a todos... e claro, meu amigo Nilder Pousa, sobre quem "repousa" a humildade e o Espírito.


Hoje, quinta-feira, embarcamos para a Argentina, em mais um congresso. Mais uma oportunidade de dar e receber, dar atenção e receber o carinho e respeito dos argentinos amigos. Orem por nós, e que HaShem nos dê sabedoria para falarmos ao coração do povo, como disse o profeta Isaías: "Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus. Falai benignamente ao Jerusalém e bradai-lhe que já a sua servidão é acabada..."

Um comentário:

Nechama Kalev disse...

Agradecemos ao Eterno por colocar pessoas como o Sr.em nosso caminho.Estaremos sempre pedindo ao Eterno que guarde e capacite cada dia a mais os nossos líderes.
Ao querido Rosh Moshê,agradecemos pela atençao às nossas perguntas e pedimos desculpas pelas nossas falhas devido a falta de conhecimento.Grande abraço,Nechama & Calev.