terça-feira, janeiro 28, 2014

Ler é um bom remedio. Unir Israel e livros é melhor ainda


Na última sexta-feira cheguei bem adiantado para o cabalat shabat e, para passar o tempo, peguei um livro pra ler. Dentre os muitos livros da biblioteca, queria um de leitura fácil, e agradável, afinal, era só pra passar o tempo mesmo. 

Tenho nesse ano retomado o hábito de ler, e esse já foi meu terceiro livro. Espero chegar aos 15, 20 pelo menos em 2014.

Peguei esse, chamado "Meu Israel" de Sabrina Abreu. 
O livro traz a visão dessa jornalista que foi fazer um trabalho lá em Israel para a gravação de um dvd, que nunca saiu, e o ponto de vista de alguém que lá viveu por onze meses, e depois retornou pra passar mais uns dias, quando escreveu o livro.

Ao ler, fui me deparando com uma série de coisas que eu mesmo já havia vivido lá em Israel, e lugares que eu havia visitado. A Sabrina traz nesse livro a visão que ela teve de muitos lugares e de pessoas que conheceu, trazendo uma visão ao mesmo tempo comum (para mim) e diferente, diferente daquilo que grupos de turistas possuem ao visitar Israel. 

A certo ponto do livro ela fala da experiência de estar num lugar e ver os vários grupos de turistas que passam, ouvem explicações do guia e seguem, visitando o máximo de lugares possível, porém, sem desfrutar de nenhum deles. E ela diz que é impossivel conhecer um país em um ano, que dirá 30 dias (ou 10, 12 que a maioria dos turistas fazem) e é verdade. Ja estive lá por várias vezes e a cada ano, experimento situações novas, lugares e histórias novas. 

No livro, ela fala de vários lugares; desde Tel Aviv (que ela chama de bolha) até Safed (a cidade da cabala, dos mistérios, sem deixar de lado Massada, o lugar que nos lembra de que Israel não voltará a cair e claro, Jerusalém. 

Interessante a comparação das quatro principais cidades religiosas e os elementos da natureza: Safed, Tiberiades, Hebron e Jerusalem... com Safed, relacionada ao ar das montanhas, Hebron, a cidade da terra, onde estão sepultados os patriarcas de Israel, Tiberiades, as águas do Mar da Galiléia (Lago Kineret) e Jerusalem, claro, o fogo. Explicações mais claras, leia o livro.

Foi muito bom ler esse livro, tanto que li suas 174 páginas em dois ou três dias (nas horas vagas) e reviver a história sob o ponto de vista dela e de algumas outras pessoas que ela apresenta no fim do livro, no chamado "Ein Sof" (não há fim, em hebraico) mostrando que ir a Israel é uma viagem que nunca terá fim, seja no desejo de morar lá, ou nas lembranças lá vividas. 

Como disse, já estive várias vezes em Israel, e mesmo para quem não viaja com interesses de fazer aliah (descendentes de judeus podem "subir" a Israel, para morar lá, com ajuda do governo) vale a pena. Nenhuma das minhas viagens teve tal intenção, AINDA, apesar de ja ter sido convidado por um amigo meu de Jerusalém. 

Vale a pena, mesmo que você nunca vá a Israel, ler esse livro é viajar com alguém que lá esteve e se apaixonou pelas cidades, pelo país e pelo povo. E se você desejar ir, já sabe: 
A CINA eventualmente organiza caravanas para lá, onde voce poderá experimentar um pouco disso tudo. Mesmo que você não vá conosco, nunca deixe de alimentar o sonho de um dia esdtar na Terra Santa, pois sonhar é bom pra todo mundo... e que seu sonho se realize plenamente.

Livro: Meu Israel; Viagem ao país onde o céu e a terra se encontram
Autora: Sabrina Abreu
Editora Leitura
páginas 174

2 comentários:

Sabrina Abreu disse...

Fiquei muito feliz com o post! Sou autora de "Meu Israel" e o livro está sendo lançado em formato ebook nesta semana! Shalom, shalom! Sabrina

Moshê ben Yishai disse...

Quanta honra, meu humilde blog ser lido pela autora do livro. Livro foi muito bom, tão gostoso de ler que foi num final de semana. Parabens! Mazal Tov Sabrina Abreu!